sábado, 3 de outubro de 2009

Conselho de um Místico



Meu amigo, quem quer que sejas tu que venhas a receber com tal facilidade os benefícios dos meus laboriosos estudos ou que queiras adquirir o sublime conhecimento dos Astros, nos quais os grandes e admiráveis trabalhos do invisível e glorioso Deus estão tão manifestamente aparentes, em primeiro lugar considera e adora teu onipotente CRIADOR e a Ele agradece a tua existência.

HUMILDE e não permitas que nenhum conhecimento natural, por mais profundo e transcendente que possa ser, exalte tua mente ou te afaste de teu dever para com a Divina Providencia, por cuja ordem e mandamento sempre vigilantes toas as coisas celestes e terrestres tem seu constante e incessante movimento. Quanto mais teu conhecimento for ampliado por tua ciência, mais deves enaltecer o poder e a sabedoria do Onipotente Deus e esforçar-te para te conservares em Sua graça. Lembra-te sempre que quanto mais sagrada a tua arte, e quanto mais te aproximas de Deus em teus deveres espirituais, mais puras devem sempre ser as afirmações que fazes.

ACAUTELA-TE DO ORGULHO e da VAIDADE, mas jamais esqueças tua DIGNIDADE. Reflete muitas vezes sobre o estado primevo de tua criação, que foste formado segundo a perfeita imagem de Deus e que nenhuma criatura irracional deveria causar mal ao Homem, o Microcosmo, mas servi-lo e obedecê-lo, enquanto ele fosse o senhor de sua razão e de suas paixões, ou até que ele permitisse que seu Livre Arbítrio fosse governado por sua parte irracional. Mas, ah!, quando o primeiro homem cedeu aos seus desejos desobedientes, e abandonou sua razão seu Deus, então todas as criaturas e feras selvagens tornaram-se rebeldes e desobedientes ao seu comando.

Retorna ligeiro, ó Homem, à tua INTEGRIDADE e tua FÉ! Considera tua própria nobreza, e que todas as coisas criadas, presentes ou por vir, foram para ti criadas;ora, por ti, até Deus se fez homem! Tu és a criatura que, conhecendo o Cristo, vive e conhece os céus. Quantos privilégios e vantagens Deus te concedeu! Tu te elevas acima do manto celeste pela contemplação, e concebes o movimento e a magnitude dos Astros. Tu falas com os anjos; sim, até mesmo com o próprio Deus. Tu tens todas as criaturas sob teu domínio, e manténs subjugados os demônios. Tua capacidade para adquirir conhecimento foi feita ilimitada pelo teu Criador, e as bênçãos da mente iluminada hão de trazer-te os consolos de alegria e felicidade.

Portanto, não desfigures vergonhosamente tua natureza, nem te tornes indigno dessas dádivas celestiais. Não te prives do poder e da glória que Deus atribuiu a ti, em troca de uns poucos prazeres imperfeitos, vãos e ilusórios.

Quando tiveres aperfeiçoado a contemplação de teu Deus e considerado a amplitude das qualidades com que és dotado, estarás pronto para receber as instruções que se seguirão, e saber por experiência própria como te conduzires. Uma vez que conversarás diariamente com os céus, instrui e forma tua mente segundo a imagem da divindade. Aprende toda beleza das virtudes, se suficientemente instruído nelas.

Sê HUMANO, cortês, gentil para todos e de fácil convivência. Não aflijas os desafortunados com o medo de um destino severo; em tais casos, informa-os de suas tribulações com simpática preocupação; aconselha-os a buscarem o auxílio de Deus para mudar o jugo que sobre eles recai; a reunirem todas as suas forças e a se esforçarem para se livrar do mal, através de um formidável exercício daquele livre-arbítrio com que o boníssimo Deus os abençoou.

Sê MODESTO em tuas conversas, e relaciona-te com pessoas sensatas e instruídas. Não cobices riquezas, mas dá livremente aos pobres, tanto dinheiro quanto conselhos.

Não permitas que considerações mundanas te induzam a um falso julgamento, ou a um que possa desonrar tua ciência sagrada. Ama todos os teus semelhantes e respeita todo homem honesto que abraça tua mesma Arte.

Rejubila-te com o número de teus amigos, e evita litígios e controvérsias. Em teus estudos, sê “ totus in illis [ inteiro neles], e que possas ser “ singulus in arte [ único na arte]. Não sejas extravagante no desejo de aprender todas as ciências.


Sê leal e complacente. Não traia os segredos de ninguém, previno-te; jamais divulgues confidencia que um amigo ou inimigo te fez.


Instrui todos os homens a viver bem, e sê tu próprio um exemplo vivo. Evita as modas do teu tempo, suas luxurias e lascívia; mas ama teu país e sê amigo dele.


Não temas, ainda que o mal se generalize.


“ Conscientia praestat Mille testibus “. [ A consciência vale mais que mil testes]


_
[ Este artigo foi escrito no ano de 1784 por E.Sibley, eminente místico e astrólogo, como um aconselhamento para os que estão começando os grandes estudos do misticismo e do ocultismo. É um conselho que daríamos mesmo nos dias atuais aos que desejam alcançar a iluminação e viver a vida dos Mestres.]

Nenhum comentário:

Postar um comentário