sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Todas as Armas são Nefastas

-
Armas, por mais excelentes, são instrumentos nefastos,
Que o homem correto despreza.
Quem conhece Tao
Não se serve delas.
O homem nobre, em tempo de paz,
Se serve da benevolência;
Só, na guerra, recorre à violência.
Todas as armas são calamidades,
De que o homem correto não faz uso.
Só quando obrigado, as usa,
E, mesmo na luta forçada,
A paz e o sossego lhe são supremos.
Quando vencedor, não se alegra.
Quem pode ter gozo em massacres humanos?
Quem se alegra com guerras homicidas,
Não realiza o destino da vida.
Em tempos bons, apreciamos a justiça;
Em tempos maus, recorremos ao “direito”.
Sabedoria é paz e amor.
Estultícia é ódio e guerra,
A ilusão do ‘direito’ é do ego,
A verdade da justiça é do Eu.
Ilusão e direito geram violência.
Verdade e Justiça geram benevolência.

Explicação: Nenhum ego pode, por si mesmo, chegar a esta conclusão se não se abrir à invasão das potências invisíveis do cosmos -  assim como nenhuma soma de zeros pode por si mesma produzir o valor positivo “1”. “Do mundo dos fatos não conduz nenhum caminho para o mundo dos valores” [Einstein].   

-
Lao-Tse_Tao Te King