segunda-feira, 14 de outubro de 2013

“CONSAGRAÇÃO DO APOSENTO”

Dentro do Circulo Infinito da Divina Presença que me envolve inteiramente,  afirmo :


-Há uma só presença aqui, é a da HARMONIA, que faz vibrar todos os corações de felicidade e alegria.

-Quem quer que aqui entre, sentirá as vibrações da divina harmonia.

-Há uma só presença aqui, é a do AMOR, Deus e Amor que envolve todos os seres num só sentimento de unidade. Este recinto esta cheio da presença do Amor. No amor eu vivo, me movo e existo. Quem quer que aqui entre sentirá a pura e santa presença do amor.

-Há uma só presença aqui, é a da VERDADE. Tudo que aqui existe, tudo que aqui se pensa tudo que aqui se fala e a expressão da verdade quem quer que aqui entre sentira a presença da verdade.

-Há uma só presença aqui, é a da JUSTIÇA. A Justiça reina neste recinto. Todas as coisas aqui praticadas são regidas pela justiça. Quem quer que aqui entre sentira a presença da justiça.

-Há uma só presença aqui é a presença de Deus o BEM. Nenhum mal pode entrar aqui. Não há mal em Deus. Deus o Bem, reside aqui. Quem quer que aqui entre sentira a divina presença do Bem.

- Há uma só presença aqui é a de Deus a VIDA, . Deus é a vida essencial de todos os seres. É a saúde do corpo e da mente. Quem quer que aqui entre sentira a Divina Presença da Vida e da  saúde.

-Há uma só presença aqui é a presença de Deus, a PROSPERIDADE. Deus é Prosperidade, pois ele faz tudo crescer e prosperar. Deus se expressa na prosperidade de tudo o que aqui e empreendido em seu nome. Quem quer que aqui entre, sentira a Divina presença da prosperidade e da abundancia.

Pelo símbolo esoterico das Asas Divinas, estou em vibração harmoniosa com as correntes universais da SABEDORIA, do PODER e da ALEGRIA.

A presença da Alegria Divina é profundamente sentida por todos que aqui penetram na mais perfeita comunhão entre o meu EU INFERIOR e o meu EU SUPERIOR que é  Deus em mim, consagro este recinto à perfeita  expressão de todas as qualidades divinas que há em mim e em todos os  seres . 

As vibrações do meu pensamento são forças de Deus em mim, que ficam armazenadas e aqui se irradiam para todos os seres, constituindo este lugar em centro de EMISSÃO e RECEPÇÃO de tudo que é  BOM, ALEGRE E PROSPERO .

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

A Idéia


De onde ela vem?! De que matéria bruta
Vem essa luz que sobre as nebulosas
Cai de incógnitas criptas misteriosas
Como as estalactites duma gruta?!
Vem da psicogenética e alta luta
Do feixe de moléculas nervosas,
Que, em desintegrações maravilhosas,
Delibera, e depois, quer e executa!
Vem do encéfalo absconso que a constringe,
Chega em seguida às cordas do laringe,
Tísica, tênue, mínima, raquítica …
Quebra a força centrípeta que a amarra,
Mas, de repente, e quase morta, esbarra
No mulambo da língua paralítica.
-
Augusto dos Anjos.

Não Sei Quantas Almas Tenho

Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,
Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.
Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que segue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo: “Fui eu?”
Deus sabe, porque o escreveu.
-
Fernando Pessoa

Lúcidos



Lobos? São muitos.

Mas tu podes ainda

A palavra na língua

Aquietá-los.


Mortos? O mundo.

Mas podes acordá-lo

Sortilégio de vida

Na palavra escrita.


Lúcidos? São poucos.

Mas se farão milhares

Se à lucidez dos poucos

Te juntares.


Raros? Teus preclaros amigos.

E tu mesmo, raro.

Se nas coisas que digo

Acreditares.


-
Hilda Hilst

Vida Vivida


Quem disse que sou um covarde
Sucumbindo ante as dificuldades?
Quem disse que sou corpo feito de alimentos?
A Vida não é figura de cera, não é figura de gesso.
Eu sou ciclone, sou furacão, sou redemoinho.
Eu transformo o ambiente, como se dobrasse um arame.
No aspecto que eu desejo.
Eu sou uno com a poderosa força
Que criou o Universo.
Eu sou a própria energia
Que da atmosfera faz o relâmpago,
Que transforma os raios solares em arco-íris,
Que faz eclodir do negro solo as rubras flores,
Que faz explodir os vulcões.
E que criou o sistema solar a partir da nebulosa.
Que é ambiente?
Que é destino?
Na hora exata, quando eu quiser,
Eu me liberto do mais triste destino
Como o peixe que se esgueira pelas fendas.
Não sou ferro,
Não sou argila,
Sou Vida.
Sou energia viva.
Não sou matéria inerte
Moldado pela situação
Ou pelo destino.

Eu sou como o ar:
Quanto mais comprimido for,
Mais força manifesto.
Tal como a bomba explode a rocha.
Eu sou Vida que,
No momento certo,
Rompe impetuosamente a situação ou destino.
Sou também como a água.
Nenhuma barreira poderá represar-me.
Se barrarem a minha passagem
Colocando grandes pedras no meu leito,
Converter-me-ei em torrente, cachoeira,
E saltarei impetuosamente.
Se me fecharem todas as saídas,
Eu me infiltrarei no subsolo.
Permanecerei oculto por algum tempo,
Mas não tardarei a reaparecer.
Em breve estarei jorrando
Através de fontes cristalinas
Para saciar deliciosamente a sede dos transeuntes.
Se me impedirem também de penetrar no subsolo
Eu me transformarei em vapor,
Formarei nuvens e cobrirei o céu.
E, chegando a hora,
Atrairei furacão, provocarei relâmpagos e trovões,
Desabarei torrencialmente, inundarei e romperei
Quaisquer diques e serei finalmente um grande oceano."


-
Autor: Masaharu Taniguchi

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

A FÉ


A luz da fé é a expressão com que a tradição da Igreja designou o grande dom trazido por Jesus. 

Eis como Ele Se nos apresenta, no Evangelho de João: « Eu vim ao mundo como luz, para que todo o que crê em Mim não fique nas trevas » (Jo 12, 46). 

E São Paulo exprime-se nestes termos: « Porque o Deus que disse: "das trevas brilhe a luz", foi quem brilhou nos nossos corações » (2 Cor 4, 6). 

No mundo pagão, com fome de luz, tinha-se desenvolvido o culto do deus Sol, Sol invictus, invocado na sua aurora. 

Embora o sol renascesse cada dia, facilmente se percebia que era incapaz de irradiar a sua luz sobre toda a existência do homem. 

De facto, o sol não ilumina toda a realidade, sendo os seus raios incapazes de chegar até às sombras da morte, onde a vista humana se fecha para a sua luz. 

Aliás « nunca se viu ninguém — afirma o mártir São Justino — pronto a morrer pela sua fé no sol>>.

Conscientes do amplo horizonte que a fé lhes abria, os cristãos chamaram a Cristo o verdadeiro Sol, « cujos raios dão a vida ».

A Marta, em lágrimas pela morte do irmão Lázaro, Jesus diz-lhe: « Eu não te disse que, se acreditares, verás a glória de Deus? » (Jo 11, 40). 

Quem acredita, vê; vê com uma luz que ilumina todo o percurso da estrada, porque nos vem de Cristo ressuscitado, estrela da manhã que não tem ocaso.

-
Enciclica Lumen Fidei do Sumo Pontifice Francisco

Os Seres de Luz




Os seres de Luz navegam nos ciclos infinitos, trazendo consigo a bem-aventurança para todas as esferas da existência.
São potencias que transmutam o caos em ordem e assim equilibram os Universos.
Em elo indivisível e conectados a Eles estamos e com Eles podemos, também, transmutar.