quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

No Campo de Concentração

O psiquiatra alemão Viktor Frank descreve sua experiência num campo de concentração nazista:

“...no meio do castigo humilhante, um preso disse:’Ah, se nossas mulheres nos vissem assim!’.

O comentário me fez lembrar o rosto de minha esposa e, no mesmo instante, me jogou para fora daquele inferno. A vontade de viver retornou, me  dizendo que a salvação do homem é por e pelo amor. Ali estava eu, no meio do suplicio, e ainda assim capaz de entender Deus, porque podia contemplar mentalmente a face de minha amada.

O guarda mandou que todos parassem, mas não obedeci -  porque não estava  no inferno naquele momento. Embora não tivesse como descobrir se minha mulher estava viva ou morta, isso não mudava nada. Contemplar mentalmente sua imagem me devolvia a dignidade e a força. Mesmo quando retiram tudo de um homem, ele ainda tem a bem-aventurança de lembrar-se do rosto de quem ama – e isto o salva.”

-
Contos do Alquimista_ Paulo Coelho

Nenhum comentário:

Postar um comentário