domingo, 11 de abril de 2010

Transforme-se


Conectando-se ao poderoso impulso da mudança hoje em curso é possível fortalecer o elo com a Fonte e viver num nível mais elevado de criatividade, amor, conhecimento e felicidade pessoal.

Nesta Era de Aquarius, temos uma oportunidade fantástica para investigar tudo a respeito de nós mesmos e do Universo, acelerando nossa própria evolução para conquistar um estilo de vida novo e melhor. Como iniciar a travessia? O conhecimento das leis que regem a Natureza ‘constrói’ a bússola para cruzarmos, com sucesso, esses mares nunca antes navegados. É que dirigdas a uma finalidade construtiva, as leis naturais transformam-se numa fonte contínua – e bastante necessária – de encorajamento e inspiração. Seu potencial, quando liberado, não pára mais de fluir na forma de combinações ímpares que se recriam. O previsível dá então lugar ao imaginável.

Mas para vivermos num nível mais elevado de criatividade, amor, conhecimento e felicidade pessoal, é preciso antes aprender a ‘limpar’ o terreno da própria mente. As noções nebulosas sobre coisas fundamentais e o compromisso quase sempre frouxo qu insistimos em manter com o auto-aperfeiçoamento – só para ficar em dois exemplos – precisam ser completamente banidos.

Afinal, só não vê qum não quer. Mudanças profundas estão à nossa frente. Quem quiser aproveitar as oportunidades abertas nesse ciclo atual de tranformação, vai ter de correr riscos, não há dúvida; mas, em contrapartida, vai dar de encontrão com inúmeras possibilidade de crescimento em todas as direções.

Hoje é fato que a descoberta da energia atômica inaugurou uma era incomparavelmente diferente no planeta, cavando um gigantesco fosso entre as duas noções extremas que costumam orientar a racionalidade humana: os parâmetros do que existiu e do que pode vir a acontecer.

Como é que alguém poderia prever, baseando-se no conhecimento passado, o estado de espanto e profunda confusão que bem pouco tempo atrás inundou as mentes de leigos e muitos cientistas ao saberem que a força contida ‘num dedal cheio de energia poderia iluminar uma cidade, ou, pior, destruí-la por completo’?

Também não ficam atrás os avanços que a história humana registra nas comunicações via satélite e nos supercomputadores. Vivemos uma verdadeira onda de explosão de informações saltos tecnológicos que correm num ritmo assombroso e tendem a se acelerar ainda mais. As pesquisas espaciais e suas inesperadas revelações, o alargamento radical dos horizontes da medicina tradicionalo e o reconhecimento da visão holística como uma linha que pode costurar ‘retalhos’, até então soltos, da experiência humana estão aí para alicerçar um estilo completamente novo de agir, pensar e sentir.

MUNDO ADMIRAVELMENTE NOVO
Em nosso ambiente humano, sismos como esses podem muito bem ser interpretados como snais de que o ‘ponto de ebulição’ também vai virar de pernas para o ar as abordagens e hábitos que impriminos nas páginas d nosso viver cotidiano. Toda a equação humana está em processo de reformulação; e isso significa que temos a oportunidade de lançar mão, desde já, desse poderoso impulso transformador para mudar, qualitativamente, o curso de nossa vida pessoal, além de alargar as fronteiras de nossa introvisão, ou seja, do eloque nos conecta à Fonte.

Os saltos tecnológicos que estamos vendo são indícios – pequenos indicios – das grandes mudanças que vão se processar diante de nós, porque nossos mundos externo e interno dispõem de potencial para serem ainda mais admiravelmente novos.

A atual situação é impar, exigindo uma transformação todo-abrangente que já começa a reorganizar de maneira global tudo o que sabemos sobre viver nesta dimensão. Está certo: o cenário ao redor parece caótico. É por isso que precisamos investir pesado contra a visão nebulosa que temos das coisas fundamentais. Só assim ganhamos outras ‘lentes’, capazes de nos permitir ver nas aparentes ameaças um campo de muitas oportunidades de crescimento.

Precisamos nos esforçar para entender o grande mestre das mudanças em curso, as leis da Natureza, reconhecendo sua origem, o que as impulsiona, a direção que seguem. A travessia rumo a um estilo de vida novo e melhor pode então levantar velas.

PARCEIROS EM EVOLUÇÃO
Hoje sabemos que para funcionar bem, o ecossistema integra todos os seus componentes. Daí concluimos que uma personalidade-alma para desenvolver-se e florescer nesses tempos de transformações radicais, precisa estar munida do conhecimento das leis da natureza, exrcitando a vontade ativa de mudar, além de incorporar o máximo que puder do supremo poder da disciplina. De forma bem sintética, eis o caminho das pedras para conquistar os instrumentos e habilidades pessoais necessários para participar de todo esse processo dinâmico que rege a vida em nosso ambiente planetário.

Tudo indica que estão sendo reunidas as condições ideais para materializarmos um mundo que funcione para todos, com vidas extraordinariamente mais ricas no plano pessoal e coletivo.

Não podemos mais continuar alimentando a ilusão de que há uma linha divisória entre a humanidade e as leis que regem a Natureza. Nós, e tudo o que existe no Universo, somos parceiros em evolução no mesmo processo renovador. Meditar sobre o sentido vital dessa unidade já cria um elo de sintoma com as forças da transformação em curso. A partir daí, podemos usar essa vigorosa corrente para chegarmos onde queremos, já que pela aplicação dos princípios e processos relativos ao real modo de funcionamento da natureza, começamos a ser capazes de transformar, radicalmente, o curso de nossas vidas, dando a elas um significado mais real, criativo, responsável e apaixonante.

Fala-se com muita insistência na necessidade de somar o conhecimento objetivo à sabedoria interior. Essa ‘mistura’ seria capaz de nos colocar em contato com as forças motrizes da Natureza [forças essas complexas, completas e sempre cooperativas], e os padrões do modo como elas movimentam tudo o qu está presente no nosso mundo.

Aqui vale dar uma tomada de fôlego e lembrar que as leis naturais seguem um padrão especial, long das noções precárias que a maioria dos mortais tem do qu seja uma ordem lógica e progressiva. Graças a essa forma própria de organização, as leis naturais chegam ao seu objetivo sem delongas ou atropelo; depois de executar ‘ordenadamente’ todas as suas ‘tarefas’, suas obras alcançam um nível de integração superior, sempre mais elaborado do que o estágio anterior. Todos esses processos levam a um estado de maior ordem, de maior complexidade, de maior integração, de maior criatividade.

PARÂMETROS RÍGIDOS
O ser humano, em contrapartida, insiste em nutrir parâmetros invariavelmente rígidos sobre o funcionamento ideal de conceitos como ordem, evolução, sucesso,oportunidade...E assim passa por cima de uma regra de ouro: para acontecerem, os processos mentais criativos precisam de ‘oxigênio novo’. Ou seja: as experiências do passado devem valer, no máximo, como pontos de referência SEM privilégios especiais. As experiências do passado jamais podem ser tomadas como uma espécie de profecia que condiciona o futuro a padrões repetitivos.

Para romper esse circulo vicioso só mesmo reaprendendo a explorar a mente e também nosso ambiente externo como se fossem solos virgens e saudáveis, prontos para fazerem germinar todas as boas sementes.

A mente que temos à nossa disposição para resolver problemas cotidianos ou situações mais abrangentes apresenta-se sempre como uma tela branca. Se nos apegamos aos velhos julgamentos, jogamos sobre a tela branca uma espécie de cortina escura e pesada. Assim fica impedida a ação do nosso ‘gerador interno de saídas’ que na sua primeira fase de funcionamento traz à tona idéias muitas vezes divergentes, mas um pouco mais adiante ele consegue fazer elos com associações coerentes e originais. Depois dessa abertura mental, já é possível abrir alas para o poder seletivo, capaz de indicar as combinações mais promissoras, descartando as idéias inviáveis. E assim chegamos ao ‘x’ da questão, uma solução final equilibrada, porque se encaixa perfeitamente num quebra-cabeça guiado por propósitos maiores. Afinal, o processo de escolha esteve conectado às leis da Natureza. Pronto. Foi tirada do porão a suprema ferramenta que uma boa parcela dos seres humanos insiste em deixar de lado: a criatividade, que sempre dá lugar a uma maior introvisão.

Agora responda honestamente: você acredita que a criatividade é um dom reservado a umas poucas pessoas especiais? NÃO. A capacidade de viver de maneira plena, vibrantemente ativa e feliz está ao alcance de todos, porque esse é O PROCESSO NATURAL que rege toda a Vida, e não um processo aleatório que premia alguns em detrimento de muitos. Se levamos existências medíocres é porque insistimos em não nos responsabilizarmos pelo uso correto de nossas capacidades criativas naturais. Como todos os órgãos e partes que formam nosso corpo, a criatividade também precisa ser regularmente exercitada para nos garantir um estado de saúde plena.

Os problemas da vida cotidiana, quando revestidos da energia criativa, perdem a cara feia e viram oportunidades. Aqui já podemos começar a trabalhar a maturidade emocional, abolindo o vício de dar adjetivos a tudo; não estamos falando de oportunidade no sentido bom ou mau e, sim, de oportunidade significando tão-somente uma ocasião para usarmos e compreendermos um pouco mais o funcionamento das nossas capacidades criativas naturais.

Podemos recorrer a esse estoque de sabedoria interior em qualquer instante, já que as leis naturais nos dão acesso a todo o conhecimento necessário para solucionarmos as questões que nos colocam em estado de desarmonia. Somos portadores do ‘saber intuitivo’, um dom que recebemos por direito divino e que nos cabe fazer refletir nessa dimensão de vida.

MENTE CRIATIVA EM AÇÃO
Vale lembrar que muito além do limite, continuamos insistindo em pensar, sentir e agir sistematicamente fora do ritmo natural. Nossas crises pessoais e coletivas são uma espécie d ‘sacudida’ dada pela Natureza para sairmos do estado de inércia, modulando um novo processo de crescimento.

Você pode fazer essa experiência e sentir todo o seu poder. Comece fazendo buscas criativas e dinâmicas em sua própria vida pessoal. Eleja uma questão que lhe desperta desconforto e jogue-a na tela branca. Se a ‘cortina’ insistir em tapar seu olho interno, paciência. Insista. Esse é apenas o sinal de que sua mente criativa ficou tempo demais no porão. Respire fundo, solte o ar, exercite a vontade ativa de mudar com paciente disciplina. O branco vai acabar fluindo novamente, tomando toda a sua tela mental.

Quando chegar o momento certo, as interligações com outros elementos vão indicar alguns caminhos de crescimento e de organização mais ampla, capazes de vencer a rigidez dos vínculos internos e externos.

Para crescer é preciso abrir fronteiras. Para sintonizar com uma realidade mais profunda e vigorosa é preciso incorporar a convivência com o novo e o diferente. Só assim é possível reinventar a si mesmo e ao seu ambiente, aproveitando-se integralmente das oportunidades abertas por esse ciclo atual de transformação.

É fundamental perceber que uma crise, se vista realmente de dentro para fora, sinaliza algo nada catastrófico – naquela área critica, é preciso que a pessoa em conflito reconheça que as regras do jogo mudaram por completo. O estilo de vida utilizado até então, ao invés de expandir, está bloqueando o seu crescimento. Se se insiste nos velhos hábitos, o crescimento pára ou, pior, retrocede. Tenha em mente que sempre é possível lançar mão dos processos criativos. Só tente não desperdiçar um grande volume de energias vitais insistindo em abrir a porta certa com a chave errada. Aperfeiçoe sua ‘obra’, atraindo elementos afins ou diferentes – sinta qual é a necessidade real do momento. Se o caminho for o da recriação completa, não alimente ainda mais os velhos apegos. Deixe que o novo flua com toda a sua força curadora.

Não é impraticável, mas está longe de ser fácil cruzar esses mares nunca antes navegados. Precisamos estar suficientemente livres do passado para recriarmos nosso futuro imediato, e nos permitirmos incorporar o ciclo de transformações que nos cabe assumir. Só assim as leis naturais podem nos conduzir a outra virada da espiral, onde as experiências vão ser mais completas, com vinculações ainda mais amplas. As forças que impelem todo o Universo a se transformar criativamente são as únicas capazes de dar à mente humana o suporte para vencer o desafio da mudança. E o processo criativo, quando em ação, substitui os passos evolutivos quase sempre sonolentos por alguns bem-vindos saltos qualitativos. Mas somente nós podemos decidir o que fazer de nossas vidas: uma experiência incompreensível, caótica, cheia de caprichos, ou algo muito além de todas essas fronteiras.

Esse novo enfoque transcende em muito as idéias até aqui expostas. Seu aprofundamento e prática constante implicam na necessidade de sempre ampliar o equilíbrio, entre acúmulo de conhecimento e de experiências pessoais. Os estudos, experimentos, novas abordagens e formas diferentes de captar e vivenciar a realidade cotidiana, propiciados pelos ensinamentos místicos/esotéricos, são um dos caminhos para alçar à condição de Homem Universal, plenamente consciente de sua relação com todos os fluxos de energias do Universo.

Nesse sentido, a grandeza e profundidade da filosofia mística tem muito a oferecer na obtenção desse currículo, porque ao longo dos estudos, o estudante, é capaz de perceber por si mesmo uma gama enorme de efeitos, visualizar-lhes as causas e influir inteligentemente sobre eles. O nível de consciência individual vai se aprofundando mais e mais; a relação entre as leis cósmicas e o universo pessoal começa a fazer sentido; depois vem a visão, cada vez mais cristalina, dos bloqueios que estão impedindo o desenvolvimento pleno dos próprios potenciais.

A viagem continua para oferecer um conhecimento superior das causas dos fenômenos ainda mais amplos, e o indivíduo torna-se consciente de que ele próprio, é uma relação importante na cadeia de todos os fenômenos universais. Num estágio mais avançado, ele é capaz de orquestrar suas potencialidades, agora já robustecidas, junto à Consciência Maior. A partir daí, alcança a compreensão de muitos dos ‘mistérios’ da Criação., porque ele está liberto do círculo limitante dos elementos egocêntricos, para trilhar um caminho de transformações profundas e contínuas. Daqui para a frente, não há perigos de retrocessos. A conexão com o poderoso impulso da mudança está selada.
_
[Texto de Simone Silva Jardim]

Notas:
[De acordo com os cálculos de diferentes estudiosos da
astrologia, as datas prováveis aproximadas para entrada na Era de Aquarius serão 2638 d.C. (Elsa M. Glover), 2654 d.C. (Max Heindel), 2680 d.C. (Shepherd Simpson) ou 2009 d.C. (Renê Müller) contudo todas elas são bastante próximas umas das outras tendo em conta que são cálculos para um evento a ter lugar apenas no século XXV]

Nenhum comentário:

Postar um comentário