sexta-feira, 16 de abril de 2010

A Natureza de Deus


Considera-se às vezes que a questão d Deus não se presta a discussão geral, pois, quem poderá dizer com alguma certeza o que Deus é ou não é? Nos intermináveis debates sobre a natureza de Deus, há realmente uma representação clara do Criador aos olhos das pessoas? Mesmo entre os chamados especialistas não há concordância ou qualquer coisa parecida com isto, a cerca deste que é o mais profundo de todos os temas. Não obstante, esta questão interessa profundamente a todos os seres racionais. Haverá porventura alguém que nunca se tenha perguntado: “Existe um Deus?” ou “Quem é Deus?”. Certamente, o individuo inclinado ao misticismo é uma pessoa que procura conhecer Deus ou tornar-se consciente de Deus.

De fato, misticismo é “ apreensão intima e direta de Deus ou o Cósmico, através do Eu Interior, isto é, pelo campo do subconsciente. O ideal do misticismo é a consecução final da união consciente com o Absoluto, ou o Cósmico. O misticismo ensina os princípios e as Leis Cósmicas pelos quais o homem é levado a uma consciência mais íntima de seu poder divino”.

Quais são esses princípios e leis que podem nos trazer uma consciência mais intima de Deus?

Isto nos traz às próprias bases dos nossos estudos. Desde nossas primeiras lições aprendemos as artes da concentração, da meditação, e do desenvolvimento psíquico, e é pela prática e o aperfeiçoamento dessas artes, em conjunto com outras técnicas essenciais, que podemos finalmente apreender a consciência de Deus.

IMPORTÂNCIA DA ATITUDE
Entretanto, muito embora sejamos capazes de nos tornar muito hábeis em concentração, meditação e desenvolvimento psíquico, isto não significa que iremos ter uma consciência intima de Deus, porque outros requisitos essenciais se fazem necessários. Uma destas importantes condições é uma atitude mental altruísta, centralizada em nossa parte espiritual, quando nos preparamos para a comunhão com a Consciência Divina.

Não podemos abordar a Divina Essência do Cósmico com outra atitude que não o propósito e pensamento mais santificado e, para isto, devemos nutrir profundo amor e reverencia para com Deus. Tentar sentir a presença de Deus como um exercício mental pode ser muito desapontador; no entanto, muitas estudantes tentam isto, porque ainda não aprenderam a expressar o amor divino latente em seu coração, e que apenas liberação e reconhecimento. Quando aprendermos verdadeiramente a amar no sentido cósmico, a presença de Deus tornar-se-á um fator da experiência diária em nossa vida. Para os poucos que conseguiram isto, a vida tem um significado novo, diferente e belo. Mas isso pode ser experimentado por todos nós, desde que aprendamos a técnica da comunhão.

Esta técnica consiste em praticarmos a meditação; mantermos pensamentos santificados e atitude de prece; desenvolvermos um profundo amor a Deus e ao Cósmico, de modo a condicionarmos nosso pensamento aos mais puros ideais; finalmente, e o que é mais importante, em termos o firme desejo de encontrar, conhecer, e amar a Deus mais e mais profundamente.

Se pudermos seguir estes simples porém necessários passos, experimentaremos a mais profunda consciência da Sublime Essência de Deus. Mas devemos também ser pacientes; não podemos forçar essa experiência ou de modo algum ser insistentes. Devemos apenas nos colocar a disposição para que o Cósmico nos faça dignos desse contato.

Tem-se dito que um dos requisitos essenciais nesta busca de Deus é a expressão do amor divino. Em verdade, diríamos que este é o mais importante fator. O amor é um tema sobre o qual se vem escrevendo e falando há séculos, porém, quantas pessoas conhecemos que irradiam amor e harmonia em todos os momentos?

UM GRANDE AMOR
Devemos elevar nossos pensamentos e nossa consciência a um ponto de harmonia com o Eu Interior. Desse modo ocorre uma profunda percepção da Consciência Divina presente no âmago de cada um de nós. Nenhuma reflexão ou medição comum poderá proporcionar isto. É preciso que tenhamos uma atitude mental altruística, centralizada espiritualmente, e que sintamos sinceramente, em nosso coração e em nossa mente, um grande amor e pureza de pensamento, durante a nossa harmonização. Obviamente, considerável preparação é necessária para conseguirmos esta atitude mental, e a única coisa que nos trará sucesso é o espírito do Amor.

O amor, portanto, não é apenas a chave para nossa harmonização com Deus; propicia também a consecução de grande poder psíquico e espiritual, bem como intuição, que podemos utilizar para o bem do homem.

É importante compreender que o amor, como a harmonização com a Consciência Divina, não ocorre subitamente como um ‘flash’ de inspiração. Ao contrário, ele cresce em nosso coração gradualmente, dependendo o seu desenvolvimento de nossas experiências, nossa atitude para com a vida e com outras pessoas, e a amplitude e profundeza do nosso desejo. São necessários muitos anos de devoção e uma vida útil e plena, para que comece a despertar o espírito do amor que está dentro de cada um de nós, mas que aprisionamos devido a uma sensação de medo e embaraço para expressarmos nossos verdadeiros sentimentos e emoções íntimos.

Todos nós fomos condicionados a acreditar que constitui erro, fraqueza e desonra, exprimirmos nossos verdadeiros sentimentos e emoções, de modo que nos sentimos compelidos a escondê-los e suprimi-los. Apesar disso, o Eu interior se empenha em exprimir e revelar nossas emoções mais profundas, criando assim uma condição de conflito que impede a apreensão do espírito do amor que a alma em nosso interior procura expressar.

Ensinam-nos a ser críticos, a reparar defeitos, a colocar nossos próprios interesses egoísticos à frente de outras pessoas. Isto é a antítese do desejo da alma de encontrar amor e harmonia, de ver beleza e alegria na vida. Enquanto não iniciarmos esta mudança em nosso pensamento e sentimento, o amor será um prisioneiro em nosso interior. Mas quando compreendermos que este grande poder está esperando para se expressar, e cooperarmos com os impulsos do Eu interior, a energia do amor começará a se expandir em nosso coração e um poder espiritual terá nascido.

Na medida em que esta energia natural do amor começa a crescer no âmago da nossa consciência, uma série de mudanças ocorre em nosso caráter e nosso comportamento, bem como em nossos mais íntimos pensamentos. Não somos afetados pelas experiências perturbadoras como éramos anteriormente. Passamos a viver mais afastados das coisas sórdidas e vulgares da vida.

Quando decidirmos fazer o esforço necessário para nos expressar e doar altruisticamente, a estrada para o despertar espiritual será aberta à nossa frente. É então que advirão experiências que nos virão inspirar, enobrecer preparar para maior serviço.

Esta decisão e seu conseqüente desenvolvimento nos levarão a um contato mais intimo com Deus, e talvez nos levem a uma experiência iniciática da própria presença do Criador, que em nós deixará uma impressão indelével. Palavras nunca poderão descrever a beleza e maravilha da experiência mística que pode advir àqueles que se tornaram dignos de tais contatos com o Cósmico. Com esse despertar, tomamos conhecimento de que Deus é AMOR e amor é DEUS, e nosso progresso na senda do serviço altruístico é assegurado.
_
[Texto de Robert E. Daniels]

Nenhum comentário:

Postar um comentário