quarta-feira, 10 de março de 2010

Introdução à Parapsicologia _ Parte 1


Vivemos numa época em que se fala abertamente dos fenômenos psíquicos [paranormal], sem nenhum temor. Mas isso não foi sempre assim. Houve uma época em que isso era tão perigoso que até podia trazer como conseqüência a morte na fogueira. Depois, em fins do século dezoito e começo do século dezenove, alguns cientistas começaram a se interessar por esses temas, e foi em meados deste século, em 1953, que a parapsicologia finalmente adquiriu caráter cientifico.

Mas bem poucas pessoas sabem disso. Se agente perguntar, “que é parapsicologia, ou quem são os parapsicólogos?”, seguramente vai obter respostas que não terão relação alguma com a verdade. Alguns acreditarão que se trata da prática de artes para ler a sorte, adivinhar o futuro,desenvolver poderes mágicos e mentais, praticar curas e até entrar em contato com extraterrestres.

E isso acontece precisamente devido ao desconhecimento do tema e também porque, como os cientistas dedicados a esse estudo não se uniram para formar uma associação de classe, assim como fazem os médicos, advogados, engenheiros, qualquer pessoa se intitula parapsicólogo, anuncia-se assim pela imprensa escrita e falada e começa a dar consultas para adivinhar o futuro ou encontrar tesouros ocultos. E isto é o que muita gente pensa que é a parapsicologia, inclusive aquelas mesmas pessoas, que não fazem a menor idéia do que é realmente essa disciplina [que, como veremos em artigos sucessivos, já é uma verdadeira ciência].

Apesar disso, as pessoas que se anunciam como parapsicólogas têm sua importância no estudo dos fenômenos psíquicos, de modo que também explicaremos como elas se classificam segundo as faculdades que supostamente podem desenvolver. Mas antes de mais nada devemos dizer que é necessário eliminar da mente a crença em que toda pessoa que diz ter alguma faculdade psíquica [ou que de fato a tem] é um parapsicólogo. Não. Parapsicólogo é um indivíduo devidamente qualificado, com formação acadêmica que lhe permite dedicar-se ao estudo desses fenômenos, para entendê-los e nos poder então explicar como e por que ocorrem. Os parapsicólogos autonomeados que produzem os fenômenos são chamados de ‘dotados’.

Feito este esclarecimento, começaremos explicando como nasceu a parapsicologia e, nos artigos subseqüentes, analisaremos o que ela estuda, faremos uma classificação dos fenômenos psíquicos mais importantes e dos que ocorrem com mais freqüência.

Os fenômenos psíquicos não são novos; sempre existiram. Mas, na antiguidade e na Idade Média, eram interpretados segundo as idéias supersticiosas da época. Mesmo hoje em dia ainda há grupos que atribuem sua origem ao diabo ou satanás. Na religião católica isto já foi superado; muitos eminentes representantes da Igreja, como jesuítas, são parapsicólogos, como é o caso do Padre Gonzáles Quevedo. Na Universidade Luterana do vaticano há uma cadeira de Parapsicologia.

A primeira sociedade de pesquisa psíquica nasceu em 1882. Mesmo antes, porém, em 1870, William Crookes, Prêmio Nobel de Química, comunicou suas observações à comunidade cientifica de Londres. O tema despertou grande interesse, embora os cientistas que se ‘atreviam’ a estudá-lo fossem tachados de loucos ou tolos. Depois foi fundada na América do Norte a Sociedade Americana para Pesquisa Psíquica e realizaram-se congressos internacionais, o que causou grande agitação nos círculos da ciência ortodoxa.

O nome, PARAPSICOLOGIA, foi criado na Alemanha por Max Dessoir, em 1889, e começou a ser usado nos Estados Unidos a partir de 1908. Mas foi somente em 1934 que ele foi difundido, graças aos trabalhos desenvolvidos, juntamente com sua esposa, pelo Dr. Joseph Panks Rhine, licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade de Duke, na Carolina do Norte, no campo da telepatia, faculdade que finalmente pôde ser comprovada. Ao analisarmos esta faculdade, nos artigos seguintes, explicaremos com detalhes os trabalhos desse eminente cientista e parapsicólogo.

Em 1953 foi realizado em Utrech, Holanda, um Congresso Internacional de Parapsicologia. Aí se deu pela primeira vez uma aula sobre o tema, ministrada pelo Dr. W.H.C. Tenhaeff e, desde então, a parapsicologia está reconhecida como ciência.

Como podemos então perceber, a parapsicologia tem apenas alguns anos de existência. Diríamos que ela ainda está usando fraldas, mas, a cada dia que passa, mais cientistas se dedicam seriamente ao seu estudo, no que pesem as dificuldades que encontram em muitos de seus colegas, além da má imagem que as pessoas inescrupulosas, ou mesmo ignorantes, estão causando ao se anunciarem como parapsicólogos e realizarem atividades que nada têm a ver com essa nobre ciência.

Atualmente, a maioria dos teóricos do tema argumentam que sua definição não corresponde aos fenômenos que ele estuda. Do ponto de vista etimológico, a palavra ‘parapsicologia’ implica que os fenômenos estão totalmente contidos no campo da psicologia, mas a parapsicologia realmente abrange outros campos, como a biologia, a física, a química, etc. Por esta razão tentou-se empregar o termo PSICOTRÔNICA, que no entanto não conseguiu substituir o termo ‘parapsicologia’.

A definição de psicotrônica é: ‘ciência que, de maneira interdisciplinar, estuda os campos de interação entre pessoas e seu meio ambiente, tanto interno como externo, e os processos energéticos envolvidos nessa interação’. A psicotrônica reconhece que a matéria, a energia e a consciência, estão interligadas. Como ciências afins, para compreender a verdadeira natureza e a origem dos fenômenos paranormais, ela se apóia na parapsicologia, na biologia, na física, na matemática, na sociologia, e até tem de pedir às vezes a orientação dos ilusionistas, devido a que há muitas pessoas que afirmam possuir faculdades psíquicas e o que realmente fazem são truques.

Em nosso artigo seguinte, começaremos a classificar os fenômenos paranormais e os ‘dotados’, isto é, as pessoas que os produzem. Daremos uma explicação cientifica de cada um deles, com relatos de fenômenos autênticos que ocorreram a certas pessoas, que, por não conhecerem ou saberem nada sobre o assunto, se assustaram ou traumatizaram. Esperamos que esses artigos sirvam para os leitores conseguirem uma compreensão mais clara dos fenômenos da vida, bem como para que possam se orientar melhor.
_

[Texto do Prof.Pedro Raúl Morales].

Nenhum comentário:

Postar um comentário