quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Pensando em Três Dimensões


Por que pensar em três dimensões?
Você por vezes se sente confuso pelas aparentes contradições da vida?
Você é uma pessoa do tipo “oito ou oitenta”, que percebe as coisas como pretas ou brancas, negativas ou positivas? Os paradoxos o paralisam?
Se a resposta for sim, você pensa em duas dimensões. Você está nitidamente consciente da dualidade da existência. Provavelmente você se sente frustrado por causa de alguns desafios mais complexos da vida, então, ao invés de perceber apenas em duas dimensões, passe a pensar em três dimensões. Essa ferramenta ou método se chama “Lei do Triangulo”. A utilização dessa lei nos oferece um meio de colocar as coisas em sua verdadeira perspectiva. Ela ilustra claramente os relacionamentos das coisas e nos dá um modelo para o pensamento e a ação construtiva. Ela também nos ajuda a compreender e reconciliar as oposições da vida.

Em termos simples, a Lei do Triangulo se refere à unificação dos opostos e à manifestação ou resultado da unificação. Em outras palavras: uma positiva, outra negativa – resulta numa terceira qualidade que abrange, ao mesmo tempo em que transcende, as outras duas. Neste ponto, é importante examinar a natureza da dualidade como fundamento da expressão ternária. Examinemos primeiro dois pontos do triângulo ... as qualidades positiva e negativa. A maioria das pessoas está familiarizada com o conceito do pensamento positivo. Também nós temos ciência de que esse tipo de pensamento é mais desejável que o chamado pensamento negativo. Por isso, os pensamentos positivos foram rotulados de ‘bons’ e os pensamentos negativos de ‘maus’. As palavras ‘positivo’ e ‘negativo’ adquiriram conotações morais ou espirituais; isto é, tornaram-se expressões para julgamento de valores.

Mas você já parou para pensar por que o pensamento positivo é chamado de positivo? Devemos sempre ser positivos? Deve a negatividade ser totalmente evitada?

Do ponto de vista psicológico, a qualidade positiva é um atributo ativo. Expressa o impulso de ser ou fazer. A qualidade negativa é relativamente passiva ou receptiva, ou pode indicar a ausência ou falta da qualidade positiva. Como exemplo de expressão ativa e passiva, consideremos a estrutura da sentença. Aqueles que já fizeram cursos de redação devem lembrar algo chamado ‘voz ativa’ de um verbo. Quando o sujeito de uma sentença pratica a ação expressa pelo verbo, a voz ativa desse verbo é usada, como no seguinte exemplo:”Eu escrevi o discurso”. Mas se a sentença é:”O discurso foi escrito por mim”, o sujeito, ‘discurso’ neste caso, torna-se o receptor da ação; o verbo, portanto, está na voz passiva. Note como a sentença que utiliza a voz ativa ou positiva do verbo tem mais impacto. Além disso, se a qualidade positiva implica ação, a negativa pode implicar a parada ou impedimento da ação; isto é, sua função pode ser inibitória ou repressiva.
Para ilustrar essa idéia, visualizemos um rio que flui com bastante rapidez, nas montanhas. É primavera, e a neve que está derretendo engrossa as águas do rio. Ela desce com fúria para o vale. O rio é positivo e dinâmico. Entretanto, enquanto segue seu curso, é obstruído parcialmente por rochas, formando corredeiras. Embora o rio continue a fluir, as rochas criam uma resistência e são, portanto, negativas.

As qualidades positiva e negativa também podem expressar graus de completude ou de plenitude. Quando uma coisa satisfaz seu propósito ou é completa em expressão, é positiva. Se não chega a satisfazer o propósito, é negativa. Talvez alguns de vocês tenham vivenciado este estado ao tentarem construir uma peça de mobiliário ou uma roupa. Se faltou material antes de terminar o que projetaram, então a coisa foi incapaz de cumprir seu propósito. O projeto permaneceu em estado negativo até que vocês reuniram os materiais necessários, completaram o objeto e começaram a usá-lo.

Os seres humanos também expressam gradações de completo ou de plenitude. A natureza física, sendo limitada e finita, é considerada negativa, enquanto que a natureza espiritual infinita e ilimitada, é considerada positiva. O individuo que busca um propósito na vida e que, ao encontrá-lo, trabalha para cumpri-lo, é relativamente positivo em comparação com outro individuo mais passivo. Entretanto, se o propósito do individuo é contrário à Lei Cósmica ou nocivo para os outros, o resultado é negativo porque inibe a evolução espiritual. As chamadas emoções negativas como raiva, medo, inveja e assim por diante são chamadas negativas por estarem ligadas à natureza finita e porque interferem na expressão da natureza positiva, espiritual.

Significará isto que devemos ignorar ou reprimir totalmente a natureza negativa? Não haverá um propósito para ela? Pode a negatividade ser útil?

Ao se fazer essas perguntas, você começa a pensar em três dimensões. Percebe que, de acordo com a Lei do Triangulo, nada pode existir sem seus aspectos positivo e negativo. Você começa a compreender que da diversidade vem a unidade e que pensar em três dimensões é a chave para a compreensão das questões da vida que nos deixam perplexos. Muitas pessoas tentam reprimir e até mesmo negara a existência da negatividade, por não compreenderem o principio. Além disso, existe a tendência generalizada de temer o principio negativo porque ele não é compreendido. Por isso, vamos fazer uma revisão das qualidades associadas ao principio negativo e determinar sua importância.

 Primeiro, o princípio negativo, se manifesta na forma de passividade e receptividade. Essas qualidades são necessárias à vida, em muitos níveis. Por exemplo, você pode imaginar vivendo sem dormir? Talvez você saiba que, enquanto dorme, seu corpo e sua consciência física estão num estado passivo, negativo, necessário para a boa saúde. Quando medita, a consciência física ou o objetiva, está relativamente passiva para que você se torne receptivo a impressões intuitivas e à orientação cósmica. Paradoxalmente, a mente subconsciente está relativamente ativa ou positiva durante o sono e a meditação. É conveniente lembrar que a consciência humana não está efetivamente dividida em duas partes, pois a consciência é uma só. Ao contrário, consciência parece funcionar em muitos níveis, e quando estamos percebendo sua atividade em um nível, os outros estão relativamente adormecidos. Vemos os princípios negativos em ação durante os meses de inverno no Hemisfério Norte.

Alguns tipos de árvores perdem as folhas e cessam de dar frutos. Animais entram em estado de hibernação ou reduzem suas atividades. Tudo isso, entretanto, tem um propósito. Assim como o sono e a meditação renovam o corpo e a alma, a Natureza também adormece, em preparação para o renascimento da primavera. Um período dormente ou passivo é necessário para a regeneração, e faz parte do grande ciclo da vida e morte que vivenciamos a cada inspiração que tomamos.

 A Segunda manifestação do principio negativo é a resistência. Voltando à ilustração do rio fluindo ao redor das rochas, imaginemos que há uma represa nesse rio. A água sobe cada vez mais por trás da represa, criando uma tremenda fonte de energia. Se a represa desmoronar, ou se a água transbordar, o resultado será uma enchente incontrolável. Entretanto,s e a água for liberada aos poucos e for aquecida para formar vapor, este poderá ser utilizado para geração de energia elétrica. A ação positiva da água, contrabalançada pela resistência negativa da represa, manifesta um poder que pode ser utilizado construtivamente, de acordo com a Lei do Triangulo.

As chamadas emoções negativas,consideradas por algumas pessoas como obstáculos ao crescimento espiritual, também são fontes de grande poder. Tomemos a raiva, por exemplo. A raiva pode ser o impulso que leva a mudanças construtivas e à expressão criativa, se for adequadamente dirigida. Em primeiro lugar, é uma indicação de desarmonia, com a dor também o é. Se a raiva é liberada sem direção, pode ser tão devastadora quanto uma enchente. Mas é igualmente destrutiva se for reprimida. Nenhuma dessas alternativa irá resultar a harmonia. Se você sente raiva, deve ser capaz de administrar o sentimento para si mesmo. Em outras palavras, você deve aceitar o fato de está zangado. Então, deve perguntar a si mesmo por que está com raiva. É fácil por a culpa em uma pessoa ou objeto que lhe causa desagrado. Mas é você que está com raiva e deve aceitar a responsabilidade por seus sentimentos. Este é um passo importante para o autodomínio, porque, oculta em sua raiva, está uma mensagem do EU INTERIOR. Em outras palavras, a raiva é um dispositivo para chamar sua atenção. Assim que você se torne receptivo ao EU INTERIOR, estará pronto a aprender, e receberá a orientação de que necessita para resolver seus problemas.

Pense por um momento na pérola e no modo pelo qual ela se forma. Uma partícula estranha se introduz no interior macio da ostra. A partícula estranha é um fator irritante, um elemento desarmonioso. A ostra reage à sua presença envolvendo o elemento irritante com uma substancia chamada nácar. Essa capa protetora reduz a irritação e forma a pérola, tão estimada por sua beleza e simbolismo. Além disso, a pérola nos ensina que a resistência cria formas. Sem forma, tudo seria o caos. Cada um de nós tem, igualmente, a capacidade de formar pérolas de sabedoria com as oposições da vida. Pensando em três dimensões, reconhecemos o valor da resistência.

 Uma terceira qualidade do principio negativo é pertinente àquilo que é incompleto ou não manifesto. Relaciona-se ao conceito da receptividade e força de atração existente entre pares de opostos. Também se refere à preparação de uma forma ou canal pelo qual a qualidade positiva possa se manifestar. Talvez possamos chamar de potencialidade a esse terceiro aspecto do princípio negativo. Diz-se que a Natureza detesta o vácuo. Isto se refere à propensão de todas as coisas buscarem o equilíbrio pela unificação de seus opostos.

Há a afirmação de que um elemento ou condição isolada é incompleta até que se una ao seu oposto. Todas as coisas manifestas, portanto, devem ser duais em natureza, embora uma qualidade possa predominar. A energia de espírito, por exemplo, à qual se atribui a polaridade negativa, tem a qualidade positiva em sua natureza. O mesmo ocorrem com a FORÇA VITAL, predominantemente positiva, mas contendo a qualidade negativa.

Como as proporções de positivo e negativo são desiguais na energia de espírito e na FORÇA VITAL, ambas buscam o equilíbrio pela unificação com seu oposto. Em outras palavras, cada uma destas energias é incompleta e é regida pela Lei do Triangulo. A Força Vital encontra sua expressão através do espírito. Sem o aspecto negativo, doador de forma, da energia de espírito, a vida, tal como a conhecemos, não existiria.

Portanto, se você quer manifestar um particular desejo em sua vida, deve criar um canal ou veiculo para essa expressão. Por exemplo, se quer que haja eletricidade em sua casa, deverá colocar a fiação pela qual essa energia possa passar. Você não espera que um raio atinja sua casa e forneça a energia para fazer funcionar seus eletrodomésticos. Não obstante, há pessoas que usam esta ‘lógica do raio’. Visualizam o que desejam e ficam esperando sentados que a coisa se materialize, e ficam intrigados porque a visualização nunca dá resultados para eles.

Pense no trabalho de um concertista de piano tem que realizar para alcançar o sucesso. O pianista pratica exercícios planejados para desenvolver a técnica e aprende muitas peças que passam a fazer parte do seu repertório. Além disso, o pianista ‘ouve’ musica e estuda teoria. Se fizer esse trabalho...sem providenciar um canal para a expressão do talento musical... o pianista só tem o ‘potencial’do sucesso.

Nós, criaturas-humanas, temos o potencial para ter sucesso na realização de nossos objetivos pelo pensamento em três dimensões. Sabemos que só com duas pontas do triangulo – só com dois elementos, qualidades ou condições – não podemos alcançar a perfeição ou resolver nossos problemas. Ignorar o principio negativo e suas qualidades de passividade, resistência e potencialidade, é eliminar uma ponta do triangulo.
_
[Texto de Lisa Sporer]
_

A BUSCA DA VERDADE
O Homem, em sua busca pela Verdade, ficou tão atrapalhado no labirinto das complexidades externas que não se permite ouvir e compreender as simplicidades internas. Busca por toda parte esperando encontrar do lado de fora respostas que deveriam vir a ele pela voz silenciosa que vem de dentro dele mesmo.
[ H.S.Lewis]

Nenhum comentário:

Postar um comentário